Plutônio até Plutão

0

imagem da sonda new horizons da nasa
A sonda espacial New Horizons passou por Plutão, o planeta-anão, em julho deste ano (2015) após 9 anos e 8 meses de viagem. E o elemento químico plutônio faz parte dessa história.

O distanciamento cada vez maior do Sol impedia que a NASA usasse painéis solares como uma fonte de energia na manutenção dos equipamentos de comunicação. Além de significar um peso extra na sonda no transporte de uma gigante estrutura de painéis. A solução foi utilizar o isótopo radioativo plutônio-238.

A elevada radioatividade dos quase 10 quilogramas de plutônio utilizados na sonda produziam uma quantidade de calor que foi convertida em eletricidade por meio de um sistema de termopares. Tendo a equipe do projeto todo o cuidado para dimensionar o uso de energia com a constante diminuição do calor fornecido pelo sistema devido ao decaimento radioativo dos isótopos de plutônio-238.

A curiosidade é que o o elemento plutônio recebeu esse nome em homenagem ao planeta (atualmente um planeta-anão) Plutão. E foi um poético reencontro!

O Professor Sir Martyn Poliakoff, da Universidade de Nottingham na Inglaterra, revela mais detalhes no vídeo abaixo.

Vídeo com legendas em português. Ative as legendas pelo botão CC que aparecerá no vídeo.

Não é necessário ter preocupação com o uso desse tipo de material radioativo em sondas especiais. Não existe perigo de uma explosão nuclear durante o lançamento, ‘apenas’ o risco de contaminação radioativa do local da queda do foguete em caso de falha no lançamento.

Texto escrito por Prof. Dr. Luís Roberto Brudna Holzle.


Nenhum comentário

Deixe um comentário