A medalha com 13 metais

0

estojo contendo a medalha comemorativa

O Professor Martyn Poliakoff foi na Royal Society of Chemistry, em Londres, para conhecer uma medalha muito especial, usada pelo presidente da entidade somente em ocasiões especiais.

Na medalha temos a imagem do químico Joseph Priestley no centro de um hexágono, que representa um anel benzênico, envolta em um círculo de ouro. Cada um dos pequenos segmentos que vemos na medalha é feito de um metal diferente: platina, níquel, titânio, irídio, nióbio, tungstênio, paládio, molibdênio, tântalo, ródio, zircônio e cobalto.

Martyn comenta sobre a história e propriedades de cada um dos metais, observando que vários dos que estão na medalha tem uma aparência prateada, o que é muito comum entre os elementos metálicos da tabela periódica – como pode ser visto neste texto https://www.tabelaperiodica.org/as-cores-dos-elementos-quimicos-da-tabela-periodica/.

Vídeo com legenda em português. Veja aqui como ativar a exibição.

A medalha tem também uma faixa de tecido colorida com o primeiro corante sintético obtido da história – a mauveína. Sendo um dos principais impulsionadores do desenvolvimento de toda indústria química.

Atualmente (fev. 2019) a Royal Society of Chemistry é presidida pela química britânica Carol V. Robinson.

Texto e legenda escritos por Prof. Dr. Luís R. Brudna Holzle ( luisbrudna@gmail.com ) – Universidade Federal do Pampa – Campus Bagé – Licenciatura em química.

Veja também

– Olimpiceno – Química nas Olimpíadas


Nenhum comentário

Deixe um comentário