Nobreza perdida

0

coroa caindo do xenônio
Este ano (2012) completam 50 anos que os gases nobres perderam um pouco de sua nobreza.

Os gases nobres – hélio, neônio, argônio, criptônio, xenônio e radônio* – são assim chamados pois na época da denominação eram julgados como sendo não reativos, ou seja, permaneceriam imaculados e não reagiriam com nenhum outro elemento.

A perda desta ´nobreza´ ocorreu em 1962 quando o químico inglês Neil Bartlett conseguiu realizar a síntese do composto hexafluoroplatinato de xenônio Xe+[PtF6].

A ideia de reagir algum composto com um gás nobre ocorreu à Neil Bartlett quando percebeu que os colegas obtinham sucesso de reação do poderoso agente oxidante PtF6 (hexafluoreto de platina) até mesmo com o oxigênio.
O2 + PtF6 –> O2PtF6

Para lembrar o feito de Bartlett a University of British Columbia, no Canadá, realizou em março seminários sobre a reatividade dos gases nobres.

Fonte: A half century for the noble gases

*O elemento Uuo (Ununóctio), de número atômico 118, não foi incluído na série de gases nobres pois as pesquisas de síntese deste elemento ainda estão em fases iniciais.

Texto escrito por


________________________________
________________________________

Nenhum comentário

Deixe um comentário