Tungstênio – uma forma criativa de falsificação do ouro

1

pedaço de metal aquecido com maçarico

Maxim Thoisoi mostra hoje como o metal tungstênio tem uma elevada densidade, de 19,25 g/cm3, que é muito semelhante ao ouro (19,30 g/cm3); e que por isso foi algumas vezes utilizado como uma forma de falsificação de barras de ouro, que eram recheadas com o elemento tungstênio.

Outra característica importante do tungstênio é o seu alto ponto de fusão, de 3422 °C. O que talvez poderia ser considerado o mais alto entre os elementos na tabela periódica, competindo com o carbono, que algumas fontes bibliográficas consideram ter um ponto de fusão de 3550 °C [dependente da forma alotrópica e condições físico-químicas].

Nas antigas lâmpadas de filamento de tungstênio, o espaço dentro do bulbo de vidro era preenchido com algum tipo de gás inerte para minimizar a presença de oxigênio, que causaria a oxidação (queima) do filamento quase que instantaneamente.

No vídeo abaixo Maxim demonstra a reação de formação de um pigmento azul que contém tungstênio em sua composição, e também algumas de suas aplicações.


Vídeo com legenda em português. Veja aqui como ativar a exibição.

Legenda e texto escritos por Prof. Dr. Luís Roberto Brudna Holzle ( luisbrudna@gmail.com ).


________________________________
________________________________

1 comentário

Deixe um comentário