Uma seleção ampla de diversos textos, vídeos e informações relacionadas com a química e a tabela. Se você quer variedade, aqui é o seu lugar!

2


Bomba de combustível no Museu do Automóvel, em Gramado – Rio Grande do Sul. (Imagem de arquivo pessoal – Licença Creative Commons)
´Somente para uso em motores a combustível – Contém chumbo (tetraetil)´

“Há dois resultados possíveis: se o resultado confirma a hipótese, então você fez uma medição. Se o resultado for contrário à hipótese, então você fez uma descoberta.” Enrico Fermi

Na década de 50, o geoquímicos Clair Patterson trabalhava em pesquisas de datação de rochas, que por meio da investigação da proporção de isótopos de chumbo provenientes do decaimento radioativo do urânio, poderia descobrir a idade do material.

Precisão era uma necessidade no trabalho de Patterson, as medidas deveriam ser feitas de maneira cuidadosa e em equipamentos cada vez mais sensíveis.

Patterson julgava que a tarefa de determinar a proporção isotópica poderia ser relativamente simples. Estava enganado. As medidas sensíveis do equipamento resultavam em concentrações muito mais altas de chumbo do quer o esperado. Os experimentos eram repetidos, imaginando existir algum erro nos procedimentos. Mas os resultados eram os mesmos. O que poderia estar errado?

A única resposta poderia ser: contaminação! Algo no ambiente estava invadindo as amostra e causando os resultados estranhos. Mas o que era?

Patterson percebeu que o chumbo estava em tudo ao seu redor, desde os reagentes usados para dissolver as amostras, nas vidrarias e até na poeira no laboratório. As quantidades de contaminação eram baixas, mas o suficiente para atrapalhar na precisão dos resultados.

O próprio pesquisador precisou desenvolver demoradas metodologias para eliminar todo aquele problema. O que antes pensava ser fácil, mostrou ser algo que consumiria anos de trabalho.

Toda dedicação de Patterson com os níveis de chumbo o fez perceber que era devido à atividade humana, especificamente pelas industriais, por notar que os maiores níveis do metal ocorriam em amostras das últimas centenas de anos. E ainda, que as taxas de chumbo haviam subido dramaticamente nas últimas décadas.

O principal culpado, era um aditivo utilizado para aumentar a octanagem na gasolina, o tetraetil chumbo, em uso desde 1923. Cada um dos canos de descarga espalhava lentamente chumbo por toda a atmosfera terrestre.

Uma ironia nesta descoberta é que o trabalho de Patterson com amostras de sedimento marinho em grande profundidade, fundamentou a percepção da presença constante de chumbo proveniente da poluição. Amostras estas de interesse da indústria petrolífera, que pretendia entender a dinâmica dos sedimentos marinhos e aprimorar a extração do petróleo. A preocupação com a repercução da descoberta fez com que cortassem os recursos repassados para Patterson, e ainda que fizessem pressão para que agências de financiamento de pesquisa fizessem o mesmo.

Felizmente Patterson continuou com suas pesquisas, e foi um dos elementos responsáveis no alerta e perigo da presença constante do chumbo no meio ambiente.

Apesar de tudo, o uso do tetraetil chumbo só teve o seu banimento iniciado em 1976, nos EUA, e só recentemente em 2006 em alguns países. ( https://en.wikipedia.org/wiki/Tetraethyllead#Banning )

contém chumbo

Fonte: Nature’s Clocks: How Scientists Measure the Age of Almost Everything Doug Macdougall [livro ainda não disponível em português]

Veja mais sobre
Chumbo

Texto escrito por Prof. Dr. Luís Roberto Brudna Holzle ( luisbrudna@gmail.com ).

0

Primeiro, o que são isótopos? São átomos que apresentam o mesmo número atômico (número de prótons no núcleo), mas com diferente número de nêutrons. Como por exemplo, carbono-12, carbono-13 e carbono-14.

Muitos isótopos podem apresentar instabilidade e decair até forma mais estáveis, percorrendo toda uma sequência de reações, conhecida como série de decaimento.

O sistema do ´Wolfram Demonstration Project´ [Projetos de demonstrações Wolfram] fornece um pequeno aplicativo que mostra diversas séries de decaimento para diversos elementos (e isótopos) da tabela periódica.
Para rodar este aplicativo, basta baixar gratuitamente um software (um player).
Baixe pelo link
http://www.wolfram.com/cdf-player/

captura de tela de palicativo wolfram

Além dos caminhos, o serviço permite mostrar a porcentagem de cada etapa, o modo de decaimento, a energia envolvida, etc.

Após instalado o player, baixe o aplicativo em:
http://demonstrations.wolfram.com/IsotopeBrowser/

Texto escrito por Prof. Dr. Luís Roberto Brudna Holzle ( luisbrudna@gmail.com ).

38

selo oficial do ano internacional da química
Este será um ano especial.
Dito como ´Ano Internacional da Química´, o 2011 contará com diversas novidades na divulgação e ensino da química.

O TabelaPeriódica.Org, participante das atividades, terá diversas novidades e frequentes atualizações em seu material.
Com apoio em projetos financiados pela Universidade Federal do Pampa (UNIPAMPA) e CNPq, traremos muitos mais vídeos, imagens, informações, histórias, etc, sobre os elementos químicos e a tabela periódica.

OBS:


Se você procura uma tabela periódica para imprimir, veja esta página.

.

4

Ideal para professores que desejam propor algum tipo de atividade criativa envolvendo a tabela periódica, esta versão para preencher está disponível para download em formato PDF (tamanho A4).
Para ter acesso basta clicar na miniatura abaixo.
tabela sem elementos
Futuramente teremos outras versões da tabela para imprimir.

Se desejar o arquivo em outro formato ou tamanho, é só enviar um comentário com a sua sugestão.

0

base de dados sobre minerais
Uma boa forma perceber a presença de elementos químicos na natureza é pela investigação da infinidade de tipos de minerais existentes.

O website Webmineral faz um belo trabalho de catalogação e descrição de diversos tipos de minerais, e com destaque para uma interessante organização destes dados por meio de uma tabela periódica.

Veja a tabela em
http://webmineral.com/chemical.shtml

Clicando em cada elemento daquela tabela periódica você poderá ter acesso a uma vasta lista de minerais que contém o elemento selecionado.

Veja também aqui no Imagens da Tabela Periódica uma coleção de imagens de minerais.

Texto escrito por Prof. Dr. Luís Roberto Brudna Holzle ( luisbrudna@gmail.com ).