Uma seleção ampla de diversos textos, vídeos e informações relacionadas com a química e a tabela. Se você quer variedade, aqui é o seu lugar!

0

Maxim Bilovitskiy conta um pouco da história da origem do nome do elemento molibdênio e a confusão que existia com o elemento chumbo. Falando em chumbo, o Maxim demonstra as diferenças entre molibdênio e tungstênio disparando com uma arma de fogo em placas feitas com estes metais!

A existência de óxido de molibdênio é demonstrada no vídeo abaixo com aquecimento de um pedaço de amostra do metal e também com uma reação de formação de ‘azul de molibdênio’.

Atualmente boa parte do molibdênio é utilizado na produção de ligas de aço para aumentar a resistência à corrosão. E Maxim também ressalta a curiosa presença do elemento em algumas enzimas existentes no corpo humano.

Vídeo com legenda em português (Brasil).

Legenda e texto escritos por Prof. Dr. Luís Roberto Brudna Holzle ( luisbrudna@gmail.com ). Universidade Federal do Pampa. Licenciatura em Química.

Veja ainda:

Mineral molibdenita

0
Medidor de radiação – Geiger.

O Cody Don Reeder, do canal Cody’s Lab, possui uma ousada coleção de materiais radioativos.

No vídeo abaixo ele resolveu mostrar alguns dos itens radioativos que mantém dentro de uma caixa. Para minimizar o vazamento de radiação ele envolveu a caixa com barras de chumbo. E comenta que futuramente iria construir um recipiente feito totalmente de chumbo para armazenar o material com maior segurança.

Mesmo com a proteção de chumbo o Cody mostra com um contador Geiger (medidor de radioatividade) que um pouco de radioatividade está ‘vazando’ por entre as barras de chumbo.

O que ele encontra primeiro na caixa são mantas usadas em lampiões à gas que contém tório em sua composição. O tório radioativo praticamente não é mais encontrado nesse tipo de manta no Brasil. A venda é proibida, mas alguma peça ainda pode existir em antiquários, em importações indevidas ou estoques antigos.

A caixa contém também um fragmento de mineral, de origem desconhecida, que contém urânio e que era de uma coleção do avô. O Cody comenta que a radioatividade está em torno de 6500 contagens por minuto (cpm). Além de várias outras rochas com alto conteúdo de urânio, com mais de 30.000 cpm, que foram compradas no site eBay! Uma amostra de óxido de urânio e alguns vidros que contém urânio na composição.

E por fim alguns tubos de vidro contendo isótopo de hidrogênio, o trítio, que é altamente radioativo.

Vídeo com legenda em português (Brasil).

O vídeo foi publicado em 2019, e em 2019 alguns fiscais do governo americano foram até a residência do Cody para fazer uma fiscalização sobre o material que ele armazenava. O Cody afirma que não sofreu sanções por causa disso, mas que teve algumas amostras apreendidas por esses fiscais!

Legenda e texto escritos por Prof. Dr. Luís Roberto Brudna Holzle ( luisbrudna@gmail.com ). Licenciatura em Química. Universidade Federal do Pampa.

Dica de mais material interessante

O que acontece se eu tiver um átomo de urânio no meu corpo?
Urânio – reações químicas e propriedades físicas do elemento

0
Oxidação do cádmio quando aquecido em presença de ar.

Inicialmente o cádmio ganhou fama como um componente em tintas, usadas em diversas aplicações, como nos famosos ônibus escolares amarelos. Atualmente as tintas amarelas não necessariamente contém cádmio em sua composição – apesar de ainda serem vendidas por algumas indústrias.

As baterias de níquel-cádmio foram muito comercializadas no passado, dando aos poucos espaço para tecnologias menos agressivas ao ambiente, como as de íon-lítio ou níquel-metal-hidreto.

O Maxim Bilovitskiy mostra no vídeo abaixo uma reação do cádmio com enxofre produzindo o belo sulfeto de cádmio (CdS) que possui aquele vibrante amarelo apreciado por pintores, como Van Gogh, Monet e Matisse.

Você poderá ver também as reações do cádmio com ácido nítrico e ácido sulfúrico. Além de uma precipitação de hidróxido de cádmio pela adição de hidróxido de sódio (NaOH).

Vídeo com legenda em português (Brasil).

Aviso! Não abra baterias que contenham cádmio em sua composição. O risco de intoxicação é alto.

Texto e legendas escritas por Prof. Dr. Luís R. Brudna Holzle ( luisbrudna@gmail.com ) – Universidade Federal do Pampa (campus Bagé) – Licenciatura em Química.

0
Amostra de európio aquecida em chama.

O Maxim Bilovitskiy, do canal Thoisoi2, mostra um pedaço do elemento európio que está armazenado em uma ampola de vidro selado – e comenta que isso deve ser feito para evitar que reaja se oxidando ao ar.

Infelizmente não é muito barato realizar experimentos ou colecionar o európio. O preço de 1 grama varia em torno de 20 dólares. E basta colocar a amostra na água para que ela reaja rapidamente formando um hidróxido.

2Eu(s) + 6H2O(g) → 2Eu(OH)3(aq) + 3H2(g)

No vídeo abaixo você verá também a reação do elemento európio com ácido clorídrico (HCl), formando um cloreto que interage com a luz ultravioleta.

Vídeo com legenda em português (Brasil).

Coleção de amostras que contém európio.
Posição do elemento európio na tabela periódica.

Legenda e texto escritos por Prof. Dr. Luís Roberto Brudna Holzle ( luisbrudna@gmail.com ) – Universidade Federal do Pampa (Bagé) – Licenciatura em Química.

0

Você pode baixar no link abaixo os arquivos em PDF para imprimir e montar uma tabela periódica igual a essa!

https://drive.google.com/drive/folders/1ObQyRO0FgdnF63jXC5pVj_Ycf2mMKkIX?usp=sharing – link para baixar o material

Os arquivos estão em formato PDF. Completam 5 folhas do tamanho A4 e você pode escolher o método de impressão.

A versão vista na imagem acima foi impressa em papel adesivo do tamanho A4 e adesivado em uma manta de ímã. Este tipo de manta pode ser comprado em vários formatos em livrarias. Existem mantas de ímã que já vem com a superfície adesiva.

Cada elemento está em um quadrado individual, que foi recortado da manta de íma.

Como fica quando desmontada.

O material foi criado e gentilmente cedido pelo Professor Alfredo Mateus.

Veja nossa coleção de outras tabelas especiais https://www.tabelaperiodica.org/colecao-de-tabelas-periodicas-especiais/

0
fusão do chumbo metálico
Chumbo líquido.

O chumbo certamente é um dos meus elementos preferidos. Sua longa presença na história da humanidade rende uma série de curiosidades.

Maleável, macio e fácil de fundir – o chumbo pode até ser liquefeito com uma vela, tendo um ponto de fusão de 327,5°C. E… não é uma boa ideia realizar a fusão do metal sem equipamento de proteção; os vapores são muito tóxicos.

No vídeo abaixo o Maxim Bilovitskiy, do canal Thoisoi2, realiza alguns experimentos. Com a garantida presença da bela demonstração da formação de belos cristais amarelos de iodeto de chumbo pela reação de nitrato de chumbo com iodeto de potássio.

Pb(NO3)2(aq) + 2KI(aq) → PbI2(s) + 2KNO3(aq)

Outro experimento demonstrado é a formação de ‘cristais’ de chumbo em uma superfície de zinco metálico em contato com uma solução contendo acetato de chumbo.

Vídeo com legenda em português.

Cuidado com o chumbo e seus compostos. Costumam ser tóxicos e cumulativos no corpo humano.

Legenda e texto escritos por Prof. Dr. Luís Roberto Brudna Holzle ( luisbrudna@gmail.com ) – Universidade Federal do Pampa – Bagé – Licenciatura em Química.