Uma seleção ampla de diversos textos, vídeos e informações relacionadas com a química e a tabela. Se você quer variedade, aqui é o seu lugar!

0

Ajude na continuidade do website tabelaperiodica.org e na compra de equipamento de áudio para gravação de histórias sobre os elementos químicos – no formato podcast e áudios curtos. 

Faça a sua doação pelo site ‘Vakinha’, pelo link https://www.vakinha.com.br/vaquinha/ajude-o-projeto-tabelaperiodica-org

Caso as doações ultrapassem a meta usaremos o valor para manter o website e realizar melhorias na navegação e visual do projeto. Além da possível compra de amostras de elementos químicos!

Aceitamos todos os tipos de doação! 

Equipamentos necessários e valores aproximados:
– microfone tipo condensador -> de 600 a 1100 reais
– pop filter [abafador para evitar sons muito altos no microfone] -> aproximadamente 30 reais
– braço articulado para fixar microfone -> 50 reais
– Interface de áudio [para conectar microfone ao computador] -> 400 reais
– suporte tipo aranha para microfone -> 50 reais

O estúdio de gravação será montado com equipamentos de baixo custo para valorizar o dinheiro doado por você!

O projeto do site www.tabelaperiodica.org não tem nenhum tipo de anúncio e é mentido apenas com doações. 

Faça a sua doação pelo site ‘Vakinha’, pelo link https://www.vakinha.com.br/vaquinha/ajude-o-projeto-tabelaperiodica-org

Desde já agradecemos muito a sua contribuição. 

0

Este site e o projeto TabelaPeriodica.Org atualmente estão sem nenhuma fonte de recursos financeiros ou verba de manutenção. Estamos com o ‘caixa’ zerado.

Para manutenção deste website e ampliação das atividades educacionais precisamos de recursos financeiros.

Para isto estamos oferecendo esta linda tabela periódica em acrílico. Ao comprar você ajudará na manutenção do projeto!

Tabela Periódica Em Acrílico – https://produto.mercadolivre.com.br/MLB-1355091575-tabela-periodica-em-acrilico-_JM

Gostou? Faça a compra pelo MercadoLivre, em https://produto.mercadolivre.com.br/MLB-1355091575-tabela-periodica-em-acrilico-_JM

Atenção! Para evitar desperdício não temos em estoque e a produção é iniciada conforme os pedidos forem realizados. E a venda é feita pela ‘equipe’ do TabelaPeriodica.Org. 😉

0
Números gerados aleatoriamente

É incrível a quantidade de substâncias químicas possíveis de serem formadas com todos os elementos químicos da tabela periódica. Os pesquisadores já identificaram e caracterizaram mais de 150 milhões de substâncias químicas orgânicas e inorgânicas, com mais de 15.000 novas substâncias sendo catalogadas diariamente. E certamente este número representa apenas uma fração do que existe na natureza!

Uma forma de perceber essa grandiosidade é tentar fazer correlações inusitadas entre os elementos químicos.

A sugestão aqui é fazer um sorteio de dois elementos químicos e tentar verificar se existe alguma situação na qual os dois elementos aparecem juntos. Pode ser uma substância na qual estejam presentes. Uma situação histórica que envolva os dois elementos. Um mineral cuja composição contenha os dois elementos (além de outros). Uma aplicação industrial, científica e/ou cotidiana. Ou use a sua criatividade para perceber as eventuais conexões existentes.

O sorteio

Para fazer o sorteio é possível usar a ferramenta do site https://www.random.org/ que permite o sorteio de um número em um certo intervalo. Ou então você pode fazer a seguinte busca no Google, ‘gerar número aleatório‘, que o próprio buscador poderá oferecer uma ferramenta de sorteio online.

Exemplos

Para exemplificar realizamos uma série de sorteios de dois números entre 1 e 94 – correspondendo ao intervalo de todos os elementos existentes entre o hidrogênio (número atômico 1) e o plutônio (número atômico 94).

56-bário e 78-platina
Existe uma substância química que contém bário e platina! É o platinocianeto de bário ( C4N4PtBa ). E tem aplicação na área de tecnologias de raios X.

6-carbono e 53-iodo
Existe compostos orgânicos nos quais ocorre a ligação química entre o carbono e o iodo – e são chamados de organoiodo ou organoiodetos.

27-cobalto e 44-rutênio
Uma busca rápida na internet resulta nesta dissertação de mestrado ‘Desenvolvimento de nanocatalisadores de cobalto e rutênio em líquidos iônicos’.

escândio e ítrio
O óxido de escândio e ítrio Y2O3-Sc2O3 tem diversas aplicações na indústria optoeletrônica.

criptônio e hólmio
Este é um encontro que não gerou nenhuma relação interessante. Talvez pelo fato do criptônio ser um gás inerte e o hólmio ser um elemento com um uso um pouco mais restrito.

É desafiador, até mesmo para um químico experiente, encontrar as relações entre alguns elementos. O indicado é primeiro tentar estabelecer uma relação usando apenas o próprio conhecimento, e depois deixar livre o uso de busca na internet para permitir o enriquecimento da atividade.

Fontes: CAS REGISTRY – The gold standard for chemical substance information. [S. l.]. Disponível em: https://www.cas.org/support/documentation/chemical-substances. Acesso em: 30 out. 2019.

PLATINUM BARIUM CYANIDE. Disponível em: https://www.chemicalbook.com/ChemicalProductProperty_EN_CB1666324.htm. Acesso em: 30 out. 2019.

COMPOSTO ORGANOIODO. In: WIKIPÉDIA, a enciclopédia livre. Flórida: Wikimedia Foundation, 2018. Disponível em: https://pt.wikipedia.org/w/index.php?title=Composto_organoiodo&oldid=52342111. Acesso em: 12 jun. 2018.

SCARIOT, Morgana. Desenvolvimento de nanocatalisadores de cobalto e rutênio em líquidos iônicos. 2008.

Yttrium Scandium Oxide. Disponível em: https://www.americanelements.com/yttrium-scandium-oxide. Acesso em: 30 out. 2019.

0

A tabela periódica tem este nome exatamente por revelar tendências de comportamentos físico e químicos dos elementos. Portanto é possível perceber estas variações por meio de auxílios gráficos e em representações visuais.

A dica aqui é usar massa spaghetti para se conseguir uma visualização de uma tendência física ou química na tabela periódica.

Na tabela acima os spaghetti foram usados para representar as variações dos pontos de fusão dos elementos químicos. Perceba que neste exemplo alguns elementos estão sem spaghetti; isso acontece pois alguns elementos não possuem pontos de fusão oficialmente (e experimentalmente) determinados.

Material utilizado:

  • 1 Pacote de massa tipo spaghetti
  • 1 Tesoura
  • 1 Tabela periódica impressa em folha tamanho A4
  • 4 blinders
  • 1 placa de EVA
  • 1 régua de 30 cm
  • clips (usado para fazer a perfuração dos locais onde seria inserida a massa)

Para a nossa atividade escolhemos representar a tendência dos pontos de fusão dos elementos. Para isso consultamos na internet uma tabela com todos os valores de ponto de fusão de todos elementos químicos e convertemos isso e tamanho da massa spaghetti. A operação é simples, para o maior ponto de fusão pegamos o spaghetti grande e então calculamos proporcionalmente (por regra de três) o tamanho que teriam que ter os outros spaghetti nos demais elementos. Perceba que usamos a escala Kelvin como base nos cálculos para não ter a dificuldade de adaptar os números negativos da escala Celsius. Veja na imagem abaixo.

Parte da tabela de pontos de fusão utilizada neste caso.

Você pode fazer várias dessas tabelas utilizado em cada uma delas uma dessas tendências: raio atômico, ponto de ebulição, energia de ionização, … Ou outras propriedades que não sejam necessariamente periódicas.

Sugestões:

– você pode tentar utilizar palitos de churrasquinho no lugar da massa. Verifique se o tamanho e espessura dos palitos são adequados à melhor visualização das tendências.

– faça os furos no locais antes de começar a montagem.

– insira a massa nos furos em uma sequência que facilite o acesso da mão na hora da montagem

– um pingo de cola pode ajudar na fixação e manutenção do spaghetti na vertical.

– é possível realizar a montagem da tabela aos poucos e explicando durante a atividade as tendências físicas e/ou químicas que podem ser observadas.

Imprima a tabela em um papel um pouco mais resistente para impedir que a folha rasgue no momento de fazer os furos. Nós utilizamos uma folha A4 com gramatura 150 g/m².

– Se você deseja algo durável opte por outro material no lugar da massa spaghetti. Com o tempo a massa irá entortar por causa da umidade do ar.

Se você pretende consumir a massa, lembre de realizar a atividade em uma bancada limpa. Neste caso o laboratório de química não é o local mais adequado.

Mais algumas imagens:

Para imprimir a sua tabela acesse nosso acervo em https://www.tabelaperiodica.org/imprimir/.

Quer mais atividades para sala de aula? Veja nossa coleção de ideias em https://www.tabelaperiodica.org/colecao-de-tabelas-periodicas-especiais/

Agradeço a ajuda dos alunos – Gabriela Machado Magalhães, Miguel Angelo Adrian Ribeiro Gonçalves e Natanna Antunes da Luz. Universidade Federal do Pampa (Bagé) – Prof. Dr. Luís Roberto Brudna Holzle – Licenciatura em Química.

Esta atividade foi inspirada no projeto ‘Periodic Pasta Table’.

.

0

Maxim Bilovitskiy conta um pouco da história da origem do nome do elemento molibdênio e a confusão que existia com o elemento chumbo. Falando em chumbo, o Maxim demonstra as diferenças entre molibdênio e tungstênio disparando com uma arma de fogo em placas feitas com estes metais!

A existência de óxido de molibdênio é demonstrada no vídeo abaixo com aquecimento de um pedaço de amostra do metal e também com uma reação de formação de ‘azul de molibdênio’.

Atualmente boa parte do molibdênio é utilizado na produção de ligas de aço para aumentar a resistência à corrosão. E Maxim também ressalta a curiosa presença do elemento em algumas enzimas existentes no corpo humano.

Vídeo com legenda em português (Brasil).

Legenda e texto escritos por Prof. Dr. Luís Roberto Brudna Holzle ( luisbrudna@gmail.com ). Universidade Federal do Pampa. Licenciatura em Química.

Veja ainda:

Mineral molibdenita

0
Medidor de radiação – Geiger.

O Cody Don Reeder, do canal Cody’s Lab, possui uma ousada coleção de materiais radioativos.

No vídeo abaixo ele resolveu mostrar alguns dos itens radioativos que mantém dentro de uma caixa. Para minimizar o vazamento de radiação ele envolveu a caixa com barras de chumbo. E comenta que futuramente iria construir um recipiente feito totalmente de chumbo para armazenar o material com maior segurança.

Mesmo com a proteção de chumbo o Cody mostra com um contador Geiger (medidor de radioatividade) que um pouco de radioatividade está ‘vazando’ por entre as barras de chumbo.

O que ele encontra primeiro na caixa são mantas usadas em lampiões à gas que contém tório em sua composição. O tório radioativo praticamente não é mais encontrado nesse tipo de manta no Brasil. A venda é proibida, mas alguma peça ainda pode existir em antiquários, em importações indevidas ou estoques antigos.

A caixa contém também um fragmento de mineral, de origem desconhecida, que contém urânio e que era de uma coleção do avô. O Cody comenta que a radioatividade está em torno de 6500 contagens por minuto (cpm). Além de várias outras rochas com alto conteúdo de urânio, com mais de 30.000 cpm, que foram compradas no site eBay! Uma amostra de óxido de urânio e alguns vidros que contém urânio na composição.

E por fim alguns tubos de vidro contendo isótopo de hidrogênio, o trítio, que é altamente radioativo.

Vídeo com legenda em português (Brasil).

O vídeo foi publicado em 2019, e em 2019 alguns fiscais do governo americano foram até a residência do Cody para fazer uma fiscalização sobre o material que ele armazenava. O Cody afirma que não sofreu sanções por causa disso, mas que teve algumas amostras apreendidas por esses fiscais!

Legenda e texto escritos por Prof. Dr. Luís Roberto Brudna Holzle ( luisbrudna@gmail.com ). Licenciatura em Química. Universidade Federal do Pampa.

Dica de mais material interessante

O que acontece se eu tiver um átomo de urânio no meu corpo?
Urânio – reações químicas e propriedades físicas do elemento